NARRATIVAS TERAPÊUTICAS

Sou  Psicologa  CRP-03/01376  e  uso a abordagem da Narrativa como instrumento de  trabalho. A Terapia Narrativa é uma visão de mundo, que não separa o observador do observado.

A GRANDE DAMA DA TN - PARTE 2

2) O DESENVOLVIMENTO DA TERAPIA NARRATIVA PELO MUNDO

RESPOSTAS DA TERAPIA NARRATIVA AO TRAUMA: DE RWANDA À PALESTINA

Alguns dos desenvolvimentos contínuos mais significativos em relação à prática narrativa dizem respeito às respostas sobre trauma. Conselheiros de Ibuka, a Associação Nacional de sobreviventes do genocídio em Rwanda, em parceria com a Dulwhich Centre Foundation International, estão na vanguarda do desenvolvimento de maneiras pelas quais as ideias da terapia narrativa podem ser usadas para trabalhar com problemas de memória causadas por traumas significantes (ver Denborough, 2010, Denborough, Friedman, &White, 2008) Terapeutas palestinos do Centro de Tratamento e Reabilitação em Ramallah estão desenvolvendo formas de práticas narrativas que são culturalmente ressonantes (ver Abu-Rayyan, 2009). (p.164)

CONSULTORIA ORGANIZACIONAL E TREINAMENTO

Na Europa e em outros lugares, as ideias de prática narrativa estão agora sendo usadas dentro de consultoria organizacional, treinamento e comunidades de trabalho. (p.164)

CONTINUANDO AS EXPLORAÇÕES TEÓRICAS

Seguindo a liderança de David Epston e Michael White, vários praticantes da narrativa continuam a se envolver e se inspirar em ideias fora do campo da terapia... E David Epston continua a introduzir notícias e pensadores para o campo. (p.165)

PESQUISA

Enquanto Michael estava cético sobre o termo que chamou de pesquisa secundária ((juntamente com David Epston, ele entendia que a terapia é uma forma de co-pesquisa direta com as famílias), uma ampla gama de projetos de pesquisa criativa sobre terapia narrativa está agora em andamento. Muitos deles estão documentados em um recente repositório de pesquisa no site do Centro de Dulwich (www.dulwichcentre.com.au/narrative-therapy-research.html). (p.165)

PRÁTICA NARRATIVA PARA ESTIMULAR A AÇÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

O trabalho de Caleb Wakhungu e do projeto comunitário MT Elgon Self-Help (de Auto Ajuda) com sede na zona rural de Uganda, é um exemplo vívido das ondulações do ensino de Michael. Michael lecionou em Uganda em 2016, e conceitos narrativos estão sendo usados agora em Mt, Elgon para desencadear uma ampla gama de projetos de ação social e desenvolvimento econômico, bem como para "levantar as cabeças das pessoas acima das nuvens” (Wakhungu). Esses projetos envolvem crianças, jovens e adultos e os resultados são inspiradores. Se houver um projeto que gostaríamos que Michael pudesse testemunhar, este seria um (ver Denborough, 2010b). (p.166)

ENCONTRO NA TRADUÇÃO

Como terapeutas que trabalham em outras pesquisas além do inglês se envolvem com a narrativa o processo de tradução está criando novas formas de prática. Esse é um processo que promete trazer novos entendimentos e formas de trabalhar para o campo. (p.166)

DIVERSAS FORMAS DE DOCUMENTAÇÃO TERAPÊUTICA

O livro que inaugurou o desenvolvimento da terapia narrativa foi intitulado Meios Narrativos para Fins Terapêuticos (White&Epston,1990) e introduziu a noção de cartas terapêuticas e documentação para o campo da Terapia. Os terapeutas narrativos continuam a explorar o uso de diversas formas de documentação, incluindo documentos vivos que são desenvolvidos ao longo do tempo e oferecidos por diferentes pessoas (Newman,2008); desenhos animados (Ord&Ema, 2009) desenhos (Colic, 2007); canções Denborough 2002,2008; Wever, 2009; Hegarty (2009); narradramas (Bera). As possibilidades de diversas formas de documentação terapêutica narrativa parecem ilimitadas. (p.167).

TRABALHANDO COM COMUNIDADES ABORÍGENES

A partir de meados da década de 1980, Michael trabalhou em parceria com colegas australianos aborígenes, e os legados dessa parceria continuam. Barbara Wingard continua ativamente envolvida no trabalho da Fundação Dulwich Centre em uma série de projetos diferentes em comunidades aborígenes. (p.168).

RIGOROSOS PROGRAMAS DE TREINAMENTO DA TERAPIA NARRATIVA

Agora há mais oportunidades do que nunca para os praticantes serem treinados em abordagens narrativas. Workshops e programas de treinamento estão agora disponíveis em uma ampla gama de condados, incluindo Austrália, Nova Zelândia, Israel, América do Norte, e as opções continuam se expandindo. (p.169)

PRÁTICAS NARRATIVAS FORA DO DOMÍNIO DA TERAPIA

Cada vez mais ideias narrativas estão sendo engajadas não apenas dentro de salas de aconselhamento e terapia, mas também em uma ampla gama de outros domínios, por exemplo, abordagens dentro de abordagen para bullying escolares, bem como dentro de projetos de mediação e justiça restaurativa (Winslade). A abordagem narrativa da Árvore da Vida (Ncube, 2006) está sendo amplamente utilizada com crianças nas escolas e no contexto em grupo, assim como o Team of LIfe (Equipe da Vida) de Denborough, 2008) que se baseia na experiência esportiva para permitir que os jovens lidem com a experiência traumática sem ter que falar diretamente sobre isso. O desenvolvimento dessas duas metodologias começaram durante as viagens à África que Michael fez nos últimos anos de sua vida. (p.170).

PRÁTICAS NARRATIVAS VIRTUAIS E A CRIAÇÃO DE COMUNIDADES (p.170)

PRÁTICAS NARRATIVAS DENTRO DA SAUDE MENTAL

Como Michael estava tão determinado a influenciar o campo da cura mental, parece importante incluir exemplos de prática narrativa dentro de instituições psiquiátricas. Um exemplo pode ser encontrado na Clínica Universitária de Psiquiatria para Crianças e Adolescentes em Salzburg, Áustria. O segundo exemplo chave é o trabalho de RUTH Pluznick e Natasha Kis-sines ao trabalhar com famílias em que um pai ou cuidador tem uma séria dificuldade de saúde mental (Pluznick &Kis-sines,2008,2010)... Há muitos outros exemplos de ideias de terapia narrativa agora sendo engajadas em ambientes de saúde mental. (p. 172/173)

VIDAS DOS TERAPEUTAS: REFLEXÕES PESSOAIS

Michael tinha um interesse vital em como as práticas narrativas influenciam a vida dos terapeutas, bem como a vida daqueles que consultam terapeutas (ver White, 1997) (p.174)

PRÁTICAS DE TESTEMUNHAS EXTERNAS COMO UM AMIGO Um dos lugares em que essa liberdade de se envolver com a terapia narrativa é vividamente expressa em Hong Kong. As ideias de Michael tornaram-se um "amigo" para praticantes lá. Isso é particularmente verdade em relação às práticas de testemunhas externas, a qual Michael muitas vezes se referiu como a prática terapêutica mais poderosa com a qual ele esteva familiarizado. (p.176)

3. O FUTURO - THE FUTURE

Este epílogo chega ao fim, e nós em direção ao futuro, parece adequado as palavras das terapeutas brasileiras Marilene Grandesso e Maria Angela Teixeira. A forma como os praticantes brasileiros estão se envolvendo com ideias narrativas foi de grande interesse para Michael. Ele ficou maravilhado com a vibração e consideração daqueles com quem ele passou um tempo no Brasil. No ano de 2011, aconteceu em Salvador, Brasil a 10ª. Conferência Internacional de Terapia Narrativa e Trabalho Comunitário. Este espírito é congruente com a história do desenvolvimento da terapia narrativa que eu esbocei no início deste capítulo.

Considerando que a terapia narrativa se desenvolveu pela primeira vez na Austrália e Nova Zelândia e usa a língua inglesa, como este pós-escrito descreve , o futuro das práticas narrativas reside na diversidade dos praticantes narrativos (p.177/178) ... Este processo está em andamento. Isso exigirá esforços contínuos. Ao lado de todos os outros fatores contribuintes, o trabalho árduo e um senso colaborativo de aventura foram os dois ingredientes-chave no desenvolvimento do que hoje é conhecido como terapia narrativa. Como todos nós trabalhamos para continuar o legado das ideias de Michael White, o que é profundamente reconfortante é o quanto muitos de nós estamos envolvidos neste projeto, e o quão diferentes somos uns dos outros. exigirá esforços contínuos. (p.178)