REVERBERAÇÕES

 

5. REVERBERAÇÕES – são ideias e imagens nas quais a experiencia de uma pessoa oferece para outras pessoas uma grande profusão de ideias através de papeis temáticos, crenças, valores, conflitos, relatos de histórias de vida que reletem e influenciam pessoas na  relação com outras.

  Michael White e David Epston com sua abordagem reverberaram ideias em nossas vidas.

    Vamos fazer isso também com nossas vidas

 

   Na história da sua vida quais as reverberações que voce percebe? 

 

 

PESQUISA

PESQUISA

                                                                                    por David Denborough

Uma maneira simples de realizar essa pesquisa é levar uma folha de papel e desenhar uma linha no meio. Na semana seguinte, na coluna da esquerda, observe as horas e os lugares onde o problema foi menos forte. Na coluna da direita, observe quem estava presente, o que você e / ou outros estavam fazendo, e o que você estava pensando no momento. Se você achar difícil notar estes tempos por si mesmo, talvez você possa obter a ajuda de um assistente de pesquisa - alguém que irá apontar para você momentos em que você parece menos dominado pelo problema, mesmo que apenas por cinco minutos. Você também pode pedir ao seu assistente de pesquisa que observe as ações que você teve durante a semana que não estão de acordo hcom o que o problema desejaria. Estes podem ser pequenos passos.

 

Habilidades especiais para superar  tempos difíceis

Há uma segunda maneira de começar lentamente a nos libertar da influência de problemas. Isso envolve começar a notar nossas habilidades especiais para superar os tempos difíceis. Em primeiro lugar, estes podem ser invisíveis para nós, mas todos têm maneiras de suportar dificuldades. Isso é verdade, mesmo nos contextos mais difíceis, onde você pode pensar que tudo é impossível. Por exemplo, colegas do Ruanda que são sobreviventes do genocídio de 1994 nos descreveram o que os sustenta em tempos difíceis.

Os seguintes extratos são do documento Viver na Sombra do Genocídio: como respondemos aos tempos difíceis - Histórias de Encorajamento (Denborough, Freedman & White, 2008).

Como vivemos na sombra do genocídio, tivemos que encontrar maneiras de responder a grandes dificuldades. Incluímos aqui algumas das nossas forças. Esperamos que este documento possa ser útil para outros...

 

LÁGRIMAS E ENTÃO FALAR

Alguns de nós somos sustentados por nossas lágrimas. Para chorar, derramar lágrimas, permitir que elas caiam pode fazer a diferença. Para alguns de nós, há uma tranqüilidade que vem depois das lágrimas o que pode nos permitir dormir. Depois de dormir, podemos levar algum, tempo para conversar com alguém. Uma pessoa disse: Quando eu estou dormindo, as lágrimas que eu chorei me dão força. Quando eu durmo depois que chorei, fico tranqüila. Não há barulho, apenas calma. Esta maneira de sustentar veio da minha mãe. Sempre que minha mãe sofria, ela costumava permitir a si mesma, chorar. Depois de suas lágrimas caírem, ela saia e ia falar com seus amigos. Alguns de nós somos sustentados por lágrimas para  só depois falarmos.

Novas formas de manter tradições. 

Há uma tradição na Ruanda que nós respeitamos, os pais nas nossas famílias. Nós os vemos como capazes de tudo e confiamos nas respostas que eles dão para nós.. Confiamos em seus conselhos. Muitos de nós perdemos nossos pais no genocídio e, portanto, tivemos que encontrar maneiras de continuar a manter contato com seus conselhos. Uma pessoa disse: "Quando eu tenho tempos difíceis, eu escrevo. Imagino que é meu pai escrevendo para mim, me dando respostas. Eu acho que essas respostas são apropriadas. "Alguns de nós estão encontrando novas maneiras de continuar nossa tradição de buscar e respeitar o conselho vindos de nossos pais. Alguns de nós estamos achando novas maneiras de buscar e respeitar os conselhos de nossos pais.

Suas próprias habilidades especiais

Dependendo do seu contexto, as habilidades especiais para superar os tempos difíceis podem ser bastante diferentes daquelas de outra pessoa. As seguintes perguntas podem ajudá-lo a conhecer suas próprias habilidades. Vou listá-los aqui e incluir as respostas de Liz,  que participou de uma de nossas oficinas. - - -

*Qual o nome de uma habilidade, conhecimento ou valor especial que você ou seus amigos e familiares têm em tempos difíceis?

Liz: chá e biscoitos

*Qual é uma história sobre essa habilidade, conhecimento ou valor - uma história sobre um momento em que isso fez diferença para você ou para outros?

Liz: "Simplesmente, há momentos na vida que  chamam por chá e biscoitos. Ao primeiro sinal de problemas, alguns de nós colocamos uma chaleira, quer se trate de exames, encontrar outros para estudar ou buscar conforto em momentos de choque. Uma vez eu quebrei meu braço quando eu tinha oito anos de idade. A cadeira quebrou e em colapso, a minha mãe imediatamente disse: "Vamos colocar uma chávena e um plano".

Esta habilidade ou valor está conectada  a tradições mais amplas? Qual é o histórico dessa habilidade, conhecimento ou valor? Como você aprendeu? De quem você aprendeu? Talvez tenha se originado numa cultura ou tradição comunitária ou esteja ligada à história familiar. Estão estes provérbios, ditos, histórias, canções, ou imagens de sua família, comunidade ou cultura ligados com quais de suas habilidades e conhecimentos?

Liz:  "Bem, eu sou Inglesa,acho que está vinculado a isso" . O grupo que LIZ tomava parte incluia participantes de Hong Kong, China. Quando ela respondeu que achava que o fato de ser inglesa era a razão para ela amar chá , esses participantes lhe lembraram que o chá não era originario da Inglaterra.

LIZ: "Há algo sobre uma xícara de chá que cria um espaço para respirar e pensar. Encontramos conforto em chá quente e biscoitos. Eu acho que isso acontece em minha vida há tanto tempo quanto tenho vivido. No dia em que nasci, tenho certeza de que meus pais teriam celebrado com uma xícara de chá ".

Essa habilidade ou valor está conectado de alguma forma as tradições? Talvez tenha se originado em uma tradição cultural ou comunitária ou esteja vinculado à sua história familiar.

Muitas pessoas acharam útil considerar as habilidades especiais que os fazem atravessar os tempos difíceis e de onde eles provêem. Essas habilidades podem incluir humor, lembrar do toque de um ente querido, levantar-se para alimentar um animal de estimação, bondade, olhar para o futuro, estudar, estar com outra pessoa, passar tempo sozinho, andar, ouvir música, cantar, rezar, dizer a si mesmo, "Estes tempos passarão", lembrando aqueles que são especiais para você, e assim por diante. As formas especiais com as quais sofremos dificuldades são ilimitadas. Por favor, note que eles não precisam ser nada fora do comum; O chá e os biscoitos não são grandes. Se você tem várias maneiras diferentes de lidar com tempos difíceis, e se alguns deles têm efeitos bons e ruins em sua vida (por exemplo, o álcool o ajuda em tempos difíceis, mas também contribui para dificuldades em sua vida), escolha algo sem complicações para este exercício. 

Ao responder às seguintes perguntas, tente preencher o máximo de detalhes possíveis; pinte uma imagem com palavras sobre suas habilidades especiais para responder às dificuldades, e de onde elas vêm.

• Qual é o nome de uma habilidade, conhecimento ou valor especial que você ou você e seus amigos / família têm nos momentos difíceis?          

 • Qual é a história sobre essa habilidade, conhecimento ou valor: uma história sobre um momento em que isso fez a diferença para você ou para outros? 

 • Qual é o histórico dessa habilidade, conhecimento ou valor: como você aprendeu isso? De quem você aprendeu?

•    Essa habilidade ou valor está conectado de alguma maneira a tradições mais amplas? Talvez tenha se originado em uma tradição cultural ou comunitária ou esteja vinculado à sua história familiar. Existem provérbios, provas, histórias, músicas ou imagens de sua família, comunidade ou cultura com as quais suas habilidades e conhecimentos estão ligados?                 

. Aumentar a nossa consciência de nossas habilidades especiais em lidar com dificuldades significa que essas habilidades se tornam mais disponíveis para uso no futuro. Examinar as histórias dessas habilidades de onde elas se originaram e de quem as aprendemos também pode mudar a forma como nos entendemos e as histórias que contamos sobre nossas vidas.9

OLHANDO PARA TRÁS, OLHANDO PARA A FRENTE

Este artigo explorou uma série de tópicos importantes.

Primeiro, consideramos formas de externalizar os problemas. Assegurar que não nos vemos como o problema, cria a possibilidade de mudar nossa relação com o problema.

Este é um primeiro passo vital para reescrever as histórias de nossas vidas.

Em segundo lugar, examinamos como os momentos extraordinários - aqueles momentos em que a influência dos problemas são menos fortes - podem nos oferecer pistas sobre como enfraquecer os problemas.

Em terceiro lugar, começamos a investigar as habilidades especiais que desenvolvemos para navegar em tempos difíceis. Também começamos a explorar as histórias dessas habilidades. Ao fazê-lo, começamos a transformar as histórias de nossa identidade.

Recuperar nossas vidas de problemas e reescrever as histórias de nossa identidade, no entanto, pode demorar. Este é o caso em particular se os problemas que enfrentamos são influenciados pela violência, pobreza, racismo, sexismo e outras formas de injustiça. Precisamos encontrar o público certo para nossas histórias (consulte o Capítulo 3). Precisaremos considerar assuntos de trabalho em equipe (ver Capítulo 4). E teremos de fazer preparativos para a nossa viagem (ver Capítulo 5).

 

Notas 1. Michael White apresentou o conceito de problemas de externalização em seu artigo básico Pseudoencopresis (1984). Para mais informações sobre externalização, consulte White, 2007.

2. Os diagramas deste capítulo foram inspirados pelo trabalho de  Terapeutas Narrativas Palestinos no Centro de Tratamento e Reabilitação de Vitimas de Tortura.